Boulevard Gastronômico divide opiniões em Ribeirão Pires

Em fase inicial, projeto encontra resistência entre comerciantes e moradores; Prefeitura Municipal aponta estímulo ao turismo e desenvolvimento econômico como um dos principais benefícios da obra.

Atrativo turístico para a região. Prejuízo financeiro para comerciantes. O Boulevard Gastronômico em Ribeirão Pires desperta reações diferentes e coloca em debate temas como o uso do espaço público, incentivo ao turismo, construção civil e desenvolvimento econômico em uma cidade que busca se reinventar como Estância Turística. Cada lado expõe seus argumentos e coloca em xeque a relação entre o poder público, com seu interesse em ampliar o potencial turístico do município, e os moradores e comerciantes, que encontram gargalos na forma como o projeto foi conduzido até aqui.

A ideia de implementar o Boulevard nasceu em 2017 e envolve a revitalização da área central do comércio da cidade para a criação de um circuito turístico que inicia no Parque Oriental (em fase de implantação), passa por passeios pela Represa Billings até chegar ao Templo Luz do Oriente, onde fica a Torre de Miroku. Além de estimular a visita aos diversos pontos turísticos municipais, como a Igreja do Pilar e os mirantes Santo Antônio e São José, o Boulevard deve aumentar o fluxo de pessoas na região central e, consequentemente, o consumo nos comércios locais.

As obras já começaram e serão realizadas em etapas. As fases 1 e 2 envolvem intervenções nas ruas Felipe Sabbag e Stella Bruna Nardelli, com aplicação de paisagismo e adequação de calçadas e recuos. Essas mudanças geraram insatisfação de diversos comerciantes da região. Em conversa com a Revista Construir & Decorar, vários afirmaram que as obras devem reduzir o movimento de clientes e prejudicar o acesso aos comércios.

“Vamos perder as vagas de estacionamento nos recuos, um dos motivos que me levaram a adquirir esse ponto. Nossos clientes não terão onde parar os carros e se sentirão desestimulados a frequentar a região. O Boulevard pode melhorar o visual do lugar, mas também vai prejudicar nossos negócios”, contou uma das comerciantes, que pediu para não ser identificada…

Gostou da matéria? Clique aqui e confira ela na íntegra!

Ou então, vá a um dos nossos pontos de distribuições e adquira a sua revista!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *